>
 

Um Minuto Faz Diferen├ža?

 

            Pelo que se vê e pela maneira que a gente frequentemente age, parece que um minuto é apenas uma medida de tempo sem grande significado. Falamos: "Só um minuto, já vou." É fácil descobrir que um minuto pode ser demais ou de menos conforme a ocasião. Com o bolo no forno um minuto a menos e o bolo sai parcialmente cru, e com um minuto a mais pode sair queimado.

            Recentemente houve um grande deslizamento de terra no meu estado natal e perto de onde meu pai trabalhava anos atrás. O tamanho do deslizamento foi espantador até para os profissionais. Cobria uma área de mais ou menos um quilômetro quadrado e com até 25 metros de profundidade de terra, pedras e árvores de todos os tamanhos. Deslizou por que estava encharcada de água depois de dias e mais dias de chuvas fortes. Quando desceu foi repentino e sem aviso algum. Passou por um rio onde acumulou mais água, passou por cima de um lugarejo onde não restou nenhuma casa ou prédio. Foi mais adiante onde cruzou uma estrada. No início os bombeiros e outros não podiam andar em cima, pois era como areia movediça. Até hoje foi retirado 33 corpos de pessoas de várias idades, inclusive crianças.

            O que mais me chamou a atenção foi à descoberta do corpo de uma mulher que no exato momento do deslizamento estava passando de carro na estrada. Quando li o artigo logo pensei que para ela um minuto era questão de vida e morte. Se ela tivesse saído de casa um minuto antes teria passado do local antes do deslizamento acontecer ou se tivesse saído um minuto depois não teria chegado ao local até depois do deslizamento acontecer. Em ambos as hipóteses um minuto teria sido bem diferente para ela.

            Não era exatamente um minuto, mas uma questão de poucos dias nesta história que segue. Uma senhora assistiu um culto na igreja pela primeira vez. Preguei como sempre, ungido, compadecido dos perdidos e procurando os convencer a entregarem suas vidas para Deus. Esta senhora nem chegou até o altar, e foi logo embora da igreja. Naquela mesma semana ela morreu carbonizada dentro da sua residência.

            Em outra ocasião um senhor de meia idade veio à igreja em uma das suas infrequentes visitas. O culto foi bom, contudo normal. Mas, no final da mensagem eu fiz um apelo para o altar com grande emoção e perturbação de espírito. Fiz o apelo mais duas vezes com o mesmo intuito de que alguém precisava se entregar a Deus naquela noite. O interessante foi que nem estava pensando neste senhor, pois ele já frequentou outras vezes. Mas senti comovido por Deus e assim fiz um apelo bem diferente naquela noite. Naquela mesma semana este senhor partiu sem Deus.

            Anos atrás fui visitar um senhor que foi uma vez ministro credenciado, mas desviou-se. Ele falou comigo que até o final daquele ano ele iria consertar tudo com Deus, o que não aconteceu e um enfarto o levou sem Deus.

            Na semana passada uma senhora com menos de 50 anos caiu morta na parada de ônibus. Uma vez foi até esposa de pastor, mas por alguma razão se desviou, e também partiu sem Deus.

            O que você está dizendo para Deus: "Só um minuto, Senhor, eu já vou"? Será que chegará a tempo? Hoje mesmo é o dia que você tem; pelo menos uma parte dele. Deve aproveitá-lo, pois não tem garantia de mais nenhum minuto. Um minuto faz diferença eternamente.

Philip D. Walmer