>
 

DispensaƧƵes 3

Número 3

 

                Enquanto algumas coisas mudaram de uma dispensação para outra, outras coisas permaneceram estáveis, isto é, não mudaram. A questão do dízimo era uma das coisas que não mudou, continuando geração após geração e dispensação após dispensação como regra de Deus, sim, regra de Deus e não dos homens. Como ministro a mais de meio século, não posso dizer que uma vez cobrei dízimo, mas sempre procurei admoestar à fidelidade a Deus e à igreja neste ato de fé em Deus. Ao mesmo tempo, sempre procurei mostrar os benefícios de ser um dizimista fiel, dos quais a minha própria vida é testemunha. 

            Sempre questionei de como uma pessoa que recusa ser dizimista fiel, ainda pode ter fé que Deus suprirá todas as suas necessidades, sendo que ele contribuiria apenas dez por cento dos seus ganhos para sustentar a obra de Deus na terra. Como ele pode ter fé em Deus para curá-lo ou curar um membro de sua família. Jesus, referindo-se às necessidades básicas do homem, disse o seguinte em Mateus 6:33: "... buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." Será que eles realmente crêem o que Paulo de experiência pessoal escreveu à igreja dos filipenses? "E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades." (Filipenses 4:19) E o ministro que não é dizimista? Como ele pode pregar ao povo sob seus cuidados que Deus pode suprir todas as necessidades de todos eles quando ele mesmo não demonstra esta fé por ser dizimista? Será que ele tem fé para orar pelos enfermos e necessitados para pode ver depois o resultado de sua fé e a de quem recebe a oração?

            É difícil para eu acreditar que um que não dá dízimo fielmente pode orar para Deus converter o pecador dos seus pecados e libertá-lo completamente, que aos olhos do homem é uma obra bem mais complicada. Esse negócio de alguns lutarem contra o dar do dízimo demonstra uma tremenda incoerência, pois quem tem fé em Deus por uma coisa deve ter fé em todo o impossível que Deus é capaz de fazer. "Porque eu, o Senhor, não mudo; por isso, vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos. Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós outros, diz o Senhor dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida. Por vossa causa, repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos. Todas as nações vos chamarão felizes, porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos." (Malaquias 3:6-10)

            Alguns hoje não entendem por que um devorador acampa nas suas casas. Alguém está sempre doente. O carro está sempre necessitado de reparos. Os filhos são desobedientes, andando desgarrados da casa materna. Deus afastará o devorador da casa do fiel dizimista, que sumirá como a neblina sob um sol forte. Deus pede para ser provado. Você que lutou tanto tempo contra tem coragem de provar a Deus? Não diz que tem fé se não prova isto neste ato tão simples de contribuir seu dízimo para sustentar a casa espiritual onde frequenta.

            Deus ainda diz que haverá mantimento espiritual na casa Dele para quem é fiel a Ele nos dízimos e ofertas. Se for fiel, a Palavra de Deus alimentará sua alma cada vez que Ela é pregada. Por amor a si mesmo e da sua família, seja fiel a Deus na parte financeira.

Philip D. Walmer