>
 

Entre As √Ārvores de Murtas

       "... entre as murteiras que havia num vale profundo..." (Jeremias 1:8)

       A visão neste capítulo descreve a condição de Israel nos dias de Zacarias, mas, sendo interpretada por nós, ela descreve a Igreja de Deus como encontramos agora no mundo. A igreja é comparada a um bosque de árvores de murta florescendo em um vale.

       A primeira coisa a notar é que o bosque está escondido e despercebido pela maioria. Assim, a Igreja, como a cabeça, tem uma glória que está oculta aos olhos humanos, porque o seu tempo de irromper em todo seu esplendor ainda não chegou.

       Em segundo lugar, a igreja é vista em um estado de segurança tranquila. O bosque de murta no vale é silencioso e calmo. Enquanto as tempestades gastam suas forças sobre os picos escarpados dos Alpes, para onde a corrente flui no vale das Murtas floresce pelo silêncio das águas, inabalável pelo vento impetuoso. Quão grande é a tranqüilidade interior da Igreja de Deus! Mesmo quando oposição e perseguição, ela tem uma paz que o mundo não pode dar, e, portanto, uma paz que o mundo não pode tirar.

        Há aqui uma grande imagem pacífica, do crescimento perpétuo dos santos. A árvore de murta não espalha suas folhas, mas está sempre verde; mesmo assim, a Igreja na sua pior hora ainda tem um tom de graça bendito sobre ela, na verdade, ela por vezes tem mostrado suas melhores cores no pior dos invernos. Ela tem prosperado mais quando suas adversidades foram graves.

        E, finalmente, o texto retrata a igreja em Vitória. A murta é o emblema da paz e um símbolo de triunfo significativo. As testas dos conquistadores foram presas com murta e louros, e não é a Igreja sempre vitoriosa? Não é cada cristão mais do que um vencedor por meio daquele que nos amou? (M & E)

Pensamento do Dia: A verdadeira paz não é a ausência de guerra; ela é a presença de Deus. - Loveless