>
 

Gra├ža - 2

Número 2

 

            "Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, - pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais e em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas." (Efésios 2:4-10)

            Estou muitissimamente preocupado com um pensamento moderno no mundo religioso que leva a crer que a graça de Deus é de alguma forma licença para viver de qualquer maneira, que participar de certos delitos do mundo, amar os prazeres do mundo, se entregar a vaidade do mundo nada tem a ver com a vida cristã. Uma frase que a gente ouve com frequência é: "Não pode julgar!" Não, não me foi dado o direito de julgar. No entanto, eu nem preciso julgar, pois a Palavra de Deus já faz isto. Ninguém pode dizer que alguém está julgando simplesmente porque cita a Bíblia em relação daquilo que é ou não é aceitável para com Deus. Neste caso é a Palavra de Deus que julga, e não a pessoa que cita a Bíblia. É triste que muitos cristãos tenham chegado a aceitar absolutos de todas as ciências, mas não aceitam absolutos em relação à fé e a vida cristã.

            No texto acima é dito que Deus é misericordioso e isto acontece por causa do grande amor que Ele tem com sua criação. No entanto, esta misericórdia não fez com que Deus deixasse sua criação perdida no pecado e degradação carnal. Ele providenciou meios pelos quais os seres humanos pudessem ser salvos. É por aí que entra a graça de Deus. A graça de Deus é um favor estendida aos seres humanos ao qual não tinham direito, que não mereceram e o qual jamais poderia ser ganha por meio de obras boas. Esta graça foi apresentada aos homens enquanto eles ainda jaziam nos seus pecados e delitos desagradáveis a Deus. Sem esta graça da parte de Deus não havia e jamais haverá meios para ser salvos.

            É interessante notar que quando o ser humano está no pecado ele é considerado morto. A obra de regeneração que Deus opera dentro do ser de uma pessoa verdadeiramente arrependida é na realidade uma obra de ressurreição do estado de morte, e para andar, como diz as Escrituras "em novidade de vida", não da mesma forma que andou anterior a obra de salvação ser efetuada na sua vida. Esta passagem ainda indica que o resgatado do pecado é elevado para sentar em lugares celestiais. Esta pessoa transformada pelo poder de Deus não fica mais ligada ao mundo, suas vaidades, concupiscências, licenciosidade, imoralidade e etc., pois se tornou uma nova criatura (criação) em Cristo Jesus. Se uma pessoa voltar a praticar as obras da vida carnal de antes, e morre novamente para com Deus, pois se os delitos anteriores deixou a pessoa morta aos olhos de Deus a volta para cometer as mesmas obras tem o mesmo efeito.

Philip D. Walmer