>
 

Gra├ža - 3

Número 3

 

            "Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, - pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais e em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas." (Efésios 2:4-10)

                Em Romanos 6:1-2 Paulo deixa muito claro não podemos pensar que continuar no pecado e na concupiscência da carne é permissível por fazer a graça mais abundante. À pergunta feita no versículo um, a resposta é um "não" enfático.

            Em II Timóteo 2:22, Paulo deu o seguinte conselho para seu filho na fé: "Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor." No mundo atual, e provavelmente no mundo de Paulo também, pois em relação ao comportamento humano nada mudou nestes séculos todos, a não ser para o pior, ele sem dúvida se referia à fornicação e adultério. Muitos têm a tendência pensar que ceder a estas paixões carnais é apenas uma coisa da juventude e que isto não afetaria a vida vindoura. A verdade é que estes deslizes sexuais acompanharão a pessoa pelo resto da vida como uma nuvem que assombra as emoções, os relacionamentos futuros, bem como muitos outros aspetos da vida e quem sabe a duração de futuros relacionamentos. Um sinônimo do verbo "fugir" é escapar. Fugindo das paixões da mocidade é escapar de muitas sequelas pelas quais ninguém quer passar. Os poucos minutos de prazer não valem quando contabilizados em relação o que há de ser pago depois, tanto na vida emocional quanto na espiritual. Estes conselhos são de particular importância para as pessoas que almejam obedecer a uma chamada de Deus para ocupar posição no ministério da Palavra, pois ele perde pela vida anterior a força e validade dos conselhos e pregações. Há vezes quando o comportamento neste sentido era tão conhecido, dentro e fora da igreja, que suas palavras e pregações simplesmente não surtem qualquer efeito, pois os ouvintes são cientes do comportamento anterior do conselheiro/pregador.

            Em II Timóteo 2:19 Paulo disse: "Aparte-se da injustiça todo aquele que professa o nome do Senhor." Quando Paulo usou a palavra "outrossim" no versículo 22, ele se referia aos demais delitos e pecados praticados pelos homens mencionados nos versículos anteriores. Em outras palavras, foge daquela iniquidade e também das paixões da juventude.

            Em relação às amizades que se constrói no ambiente de uma comunidade, trabalho ou igreja, talvez seja relembrar do conselho do líder do povo de Deus em Número 16:26: "Desviai-vos, peço-vos, das tendas destes homens perversos e não toqueis nada do que é seu, para que não sejais arrebatados em todos os seus pecados." Que advertência maravilhosamente válida!

Philip D. Walmer