>
 

Gra├ža - 5

Número 5

 

            "Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, - pela graça sois salvos..." (Efésios 2:4-5)

            O estado do ser humano desde a queda do homem no Jardim do Éden era tão repugnante diante de Deus que resultou no afastamento do homem da presença Dele. Até na história de Israel e seu louvor a Deus no tabernáculo e templo somente sacerdotes especialmente purificados podiam entrar na presença de Deus e apenas uma vez por ano. No dia de hoje parece que há uma tolerância demasiada de comportamento totalmente desaprovado por Deus, até entre membros e ministros de igrejas evangélicas que certamente cria náusea nas narinas de Deus, pois todo tipo de desvio da vontade de Deus em relação daquilo que Ele ordenou e espera se alojou nas fileiras delas.

            Pela graça de Deus Israel foi tirado do Egito e levado para uma terra para ele prometida. No entanto, o comportamento geral do povo retardou em 40 anos a posse daquilo que Deus prometeu. Pela graça de Deus e por intermédio da intercessão de Moisés a nação não foi totalmente destruída. Deus simplesmente não iria tolerar seu retorno àquilo do qual Ele os libertou. Mas parece que existe um espírito libertino no meio das igrejas evangélicas hoje que permite qualquer tipo de comportamento ilícito e que Deus na sua graça há de simplesmente ignorar o que Ele anteriormente condenou.

            Deus libertou Israel do Egito (nação que nas Sagradas Escrituras sempre era tipo do mundo) do que era provavelmente um dos piores redutos de paganismo e idolatria do mundo daquela época. Porém, poucos meses depois deste salvamento maravilhoso da escravidão do Egito, a nação de Israel volta às raízes e edifica um altar de louvor a um bezerro, ideia trazida diretamente do Egito. Não se esquece de que toda a história de Israel é tipo da Igreja que estava por vir. Da mesma forma que Deus puniu Israel por tal desvio da Sua vontade, fará individual e coletivamente aos que Ele libertou do mundo.

            Veja bem: Israel não era como as nações em volta que tinham deuses visíveis. Por isso Israel sofria a zombaria das nações vizinhas. Estes povos idólatras apontavam para os altares dos seus deuses no alto das montanhas e se gabavam de ter deuses altos. Israel não podia se contentar em dizer: O Deus que nós servimos tem por trono o céu dos céus e esta terra é apenas o estrado dos seus pés ou que nosso Deus é o Altíssimo.

            O povo verdadeiramente cristão hoje parece não aguentar as chacotas do mundo e tem cedido às exigências dele em termos de entretenimento, música, conversação, vestimenta, moralidade e etc. Uma vez eu fui perguntado por um colega de trabalho se eu era cristão e respondi afirmativamente. Ele disse então: "Você, então, não pode fumar." Eu contrapus: "Posso sim." Ele, portanto, indagou: "Porque não fuma então?" Retruquei: "Porque eu não quero." Foi o fim da conversa que nunca mais foi levantado o assunto. Todo cristão precisa se posicionar contra o mundo e tudo que está nele para poder ser aceitável a Deus. "Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele..." (I João 2:15)

Philip D. Walmer