photo
Philip D. Walmer

Nascido nos EUA em 1941, formou-se em teologia de Conqueror’s Bible College em 1962 e ingressou no ministério no mesmo ano. Após 12 anos de ministério em vários níveis em sua terra natal, chegou ao Brasil em 1974, onde tem atuado como fundador de igrejas, pastor, evangelista, professor de seminário, entre vários cargos administrativos. Após quase 5 décadas de ministério ele anela compartilhar as coisas aprendidas no decorrer destes anos com pessoas que também anelam um ministério amplo e profundamente sucedido.

Devocional


 
Conhecimento

 

            Coisa maravilhosa é poder possuir um relacionamento com Deus ao ponto que Ele se sente a vontade de lhe acordar de madrugada para poder lhe comunicar alguma verdade que deve considerar para seu próprio bem espiritual. Não por motivo de vã glória, mas comunico que assim aconteceu comigo muitas vezes no decorrer dos meus anos de ministério, fato que aconteceu mais uma vez nesta madrugada. Acordei bem cedo e apesar de uma noite incompleto de sono, não podia pegar no sono novamente. Portanto, como faço frequentemente, passei mão na minha Bíblia que sempre jaz a beira da cama e comecei ler no livro de Segundo Pedro.

            Eu fiz, como todos devem fazer, isto é, li com o intuito de acrescentar algo a minha vida espiritual da infalível Palavra de Deus. Ao longo dos meus anos no ministério, notei com grande pesar a queda de homens e mulheres que faziam parte do quadro ministerial da igreja. Notei que o que provocou o afastamento deles do ministério, da igreja e infelizmente de Deus era o fato que eles liam a Palavra de Deus apenas para achar algo que podiam pregar para os outros, em vez de primeiramente lê-La com ardente desejo de acolher os ensinamentos Dela para suas próprias vidas. A Palavra de Deus possui um poder para nos afastar das obras da carne que por fim interditarão a entrada na Cidade Celestial de Deus preparada para Seus filhos verdadeiros.

            Apesar de ter lido o livro de Segundo Pedro incontáveis vezes, esta vez Deus me chamou a atenção para os versículos que falavam em conhecimento de Deus e da Palavra Dele. Em particular minha atenção foi direcionado para os versículos abaixo citados que usam palavras de importância especial... “pleno conhecimento” e “conhecimento completo”.

“... graça e paz vos sejam multiplicadas, no pleno conhecimento de Deus e de Jesus, nosso Senhor.” (II Pedro 1:2) “Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.” (II Pedro 1:8) O versículo três (3) usa um termo semelhante... “conhecimento completo”.

Pedro, o escritor destas passagens faz finca-pé desde o começo no tema “do conhecimento” de Deus e de Jesus Cristo. Pedro finaliza esta carta (epístola) com o vesículo 18 do capítulo 3: “... antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.”

Muitos diriam que me conhecem, porém, digo com toda certeza que me conhecem apenas superficialmente, pois jamais tiveram uma convivencia que lhes daria um conhecimento mais profundo da minha pessoa. Dentro de pouco meses a minha esposa e eu estaremos celebrando sessenta (60) anos de casamento. Estes anos todos nos proporcionavam um conhecimento profundo um do outro que solidificou o relacionamento para que durasse vitaliciamente. É isso que falta em muitos relacionamentos conjugais hoje que resultam em divórcios, filhos privados de pai ou mãe e subjugados a uma quase impossível obrigação de lidar com um parente que não é parente de sangue que resultou do fato de seus pais verdadeiros não se conheciam profundamente. (Não falo apenas do relacionamento íntimo.)

Você realmente me conhece? Então... qual é o tamanho de calçado que uso, tamanho de camisa que me visto, ou calças, ternos, casacos etc.? Por volta de vinte anos atrás, pela necessidade de visitar e cuidar de sua mãe, minha esposa retornou para os Estados Unidos. Fazendo compras numa grande loja de departamentos ela viu um terno de oferta. Verificando que o tamanho era perfeitamente meu, e sendo o preço excelente, ela comprou antecipando o casamento de nosso filho casulo para o ano seguinte. Ela o deixou na casa de nossa filha. Voltando no ano seguinte, eu experimentei o terno que era perfeito. Isto era possível somente porque ela me conhecia bem após quarenta (40) anos de casamento na época.

Quão bem você conhece o Senhor, que alega conhecer, seguir, amar e obedecer? Faço esta pergunta, pois infelizmente a maioria dos ditos cristãos se contentam em frequentar um culto por semana onde eles se alegram com cânticos, louvores, danças etc. por umas duas horas, para depois voltar para casa onde a Palavra de Deus não é lida, orações privadas não realizadas e onde Deus não é considerado até o momento do próximo culto. Que pena, pois assim eles perdem a oportunidade de realmente conhecer o Senhor da Glória.

No momento de escrever o seu segundo livro (carta) Pedro sabia que estava prestes a morrer em breve. Ele se preocupou em transmitir para seus leitores a iminente volta do Senhor para Sua Igreja, e com o fato que muitos estavam se desviando da verdade. Ele os incentivou para conhecer o Senhor em Sua plenitude.

Lembra-se que ele usou o termo “pleno conhecimento”. Ele não queria que seus leitores, supostos membros da Igreja tivessem apenas um conhecimento superficial de Deus, portanto, usou as palavras “pleno” e “completo”. Pleno se define assim: que se mostra cheio, repleto, que está completo, inteiro, que teve completo acabamento, perfeito. Você pode afirmar que seu relacionamento com Deus pode ser definido com estes termos?

Deus ordenou o profeta Jeremias transmitir as seguintes palavras ao povo Israelita, fazendo com que este povo soubesse que sua maior glória seria conhecer bem a Deus. Veja: Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o Senhor e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor.” (Jeremias 9:23-24) Quer realmente agradar o Senhor que tem nas Suas mãos o seu destino eterno? Dê toda diligência para conhecer a Ele por via da Palavra de Deus e suas orações, louvores e adoração particulares, não somente em conjunto com outros nos cultos.

Jesus explicou aos seus discípulos e seguidores do que consista a vida eterna. Veja João 17:3: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”

Você está contente com apenas um relacionamento superficial com Jesus Cristo, seu único salvador? Você não quer O conhecer melhor e assegurar sua Salvação? O escritor do livro de Hebreus descreveu a Salvação providenciada por Jesus Cristo como sendo “tão grande”. Os versículos 2 e 3 do capítulo 2 dão ainda mais enfase da importância desta salvação que é a única maneira de escapar do castigo vindouro. “Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? (Veja também Hebreus 3:16-19 e 10:29-31)

Prezado amigo/irmão, o grande dia do Senhor aproxima-se velozmente, isto é, aquele dia em que os verdadeiros servos do Senhor, aqueles que se lavaram no sangue do Cordeiro e vivem afastados do mundo e suas corrupções serão arrebatados para sua recompensa eterna. Convém todos a dar toda a diligência a sua salvação, procurando com todo o afinco conhecer plenamente a Quem proporcionará a vida eterna.

Philip D. Walmer, Pastor

Avisos

Leitor,

Você quase não encontra tempo para ler Sua Bíblia. É difícil de ler alguns livros, então montei uma tabela de Leitura Bíblica que lhe ajudará. Vá até o site: www.simfiel.com.br/rec_adult.php

 

 

A dádiva de amizade verdadeira é que nos toma pela mão e faz nos lembrar que não estamos sozinhos nesta jornada.